<p>Vista aérea de bananeiras em agrofloresta em Nazaré Paulista, São Paulo, local que o Diálogo Chino visitou em 2023. Os sistemas agroflorestais envolvem o plantio de árvores no interior ou ao redor de pastagens. Também podem ser desenvolvidos em áreas de floresta (Imagem: Lucas Ninno / Diálogo Chino)</p>
Indústrias Extrativistas

As melhores fotorreportagens do Diálogo Chino em 2023

Nossa equipe editorial da América Latina selecionou as melhores fotos publicadas em nossas reportagens ao longo do último ano — do altiplano boliviano aos recifes do Pacífico, da Amazônia ao Pampa gaúcho

A cada ano, o Diálogo Chino produz reportagens imersivas com apuração de campo e imagens que ajudam a retratar os desafios ambientais da América Latina. Nossos fotógrafos capturam as paisagens, os rostos e os mínimos detalhes que dão vida a essas histórias.

Em 2023, enviamos fotógrafos para quase todos os cantos da região: para as salinas da Bolívia, onde algumas comunidades estão preocupadas com os possíveis impactos da mineração de lítio à medida que um boom global se aproxima; às usinas de energia solar na costa da República Dominicana; a campos do Pampa gaúcho, onde secas extremas e enchentes testaram a resiliência de agricultores; e ao coração da floresta amazônica, em meio à luta de povos indígenas contra projetos de extração de petróleo.

Estas são nossas imagens preferidas de 2023.

Vista aérea do Salar de Pastos Grandes, onde será construída uma usina de carbonato de lítio, projeto que faz parte da estratégia do governo boliviano de abrir o país a investimentos estrangeiros
Comunidades resistem ao boom do lítio na América Latina

Fotógrafo: Ernst Udo Drawert

Vista aérea do Salar de Pastos Grandes, onde será construída uma usina de carbonato de lítio, projeto que faz parte da estratégia do governo boliviano de abrir o país a investimentos estrangeiros. Em nossa visita à área, ouvimos as preocupações de moradores a respeito do uso excessivo de água para a extração de lítio, já que eles dependem dela para plantar quinoa e criar lhamas, suas principais atividades econômicas (Imagem: Ernst Udo Drawert / Diálogo Chino)

Thiago Karai Djekupe, líder Guarani, lidera protesto na terra indígena Jaraguá, em São Paulo, contra o marco temporal
Indígenas lutam por suas terras contra marco temporal

Fotógrafe: Dan Agostini

Thiago Karai Djekupe, líder Guarani, lidera protesto na terra indígena Jaraguá, em São Paulo, contra o marco temporal. A tese jurídica — rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal, mas aprovada no Congresso — visa limitar a reivindicação de indígenas a seus territórios ancestrais, exigindo provas da ocupação das áreas à época da promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988 (Imagem: Dan Agostini / Diálogo Chino)

Peixe da espécie Malacoctenus tetranemus nada por anêmonas e estrelas-do-mar sobre um recife de coral
Plataforma de petróleo desativada no Peru dá espaço a recife de coral

Fotógrafo: Yuri Hooker

Peixe da espécie Malacoctenus tetranemus nada entre anêmonas e estrelas-do-mar sobre um recife de coral. A estrutura natural se formou no entorno de uma plataforma petrolífera desativada no norte do Peru. Em nossa visita ao local, a poucos quilômetros da costa de Los Órganos, conversamos com especialistas, moradores e autoridades sobre o futuro da plataforma abandonada, que se transformou em um importante ambiente para o desenvolvimento da biodiversidade marinha. Apesar das pressões para preservar o local, ele começou a ser desmontado em setembro (Imagem: Yuri Hooker)

Sergio Rubin, pesquisador aposentado da Fundação de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Sul
Após seca histórica, El Niño leva chuvas abundantes ao Rio Grande do Sul

Fotógrafo: Daniel Marenco

Sergio Rubin, pesquisador aposentado da Fundação de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Sul, caminha por sua plantação de aveia em Júlio de Castilhos, no Sul. Ele usa o cereal como cultura forrageira para manter a umidade e os nutrientes no solo entre as safras de soja. Em agosto, conversamos com Rubin sobre os desafios enfrentados pelos agricultores gaúchos após três anos de seca e diante da iminência de fortes tempestades e enchentes provocadas pelo fenômeno El Niño (Imagem: Daniel Marenco / Diálogo Chino)

Macaco guigó, nativo da Mata Atlântica, colhe frutas em área reflorestada pelo Instituto de Pesquisas Ecológicas em Nazaré Paulista, estado de São Paulo
Brasil quer alavancar recuperação de terras degradadas

Fotógrafo: Lucas Ninno

Macaco guigó, nativo da Mata Atlântica, colhe frutas em área reflorestada pelo Instituto de Pesquisas Ecológicas em Nazaré Paulista, estado de São Paulo. Programas de restauração baseados em métodos agroflorestais ganham impulso em todo o Brasil graças a iniciativas como o Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, cuja meta é recuperar 12 milhões de hectares de terras degradadas até 2030. O projeto busca evitar o desmatamento para a abertura de novas áreas agricultáveis (Imagem: Lucas Ninno / Diálogo Chino)

Geanes Maria de Souza, que vende carne e frango assado na favela de Paraisópolis, cumprimenta um cliente
A carne bovina está perdendo espaço na América do Sul?

Fotógrafe: Dan Agostini

Geanes Maria de Souza, que vende carne e frango assado na favela de Paraisópolis, cumprimenta cliente. Em setembro, publicamos uma fotorreportagem sobre o mercado da carne bovina com a colaboração de repórteres e fotógrafos de Brasil, Argentina e China. A matéria analisou as mudanças nos hábitos de consumo de carne e a adesão às dietas à base de plantas nos três países. Souza, um dos entrevistados, disse ter percebido a influência dos preços como um fator-chave para a oscilação do consumo de carne (Imagem: Dan Agostini / Diálogo Chino)

Óscar Machoa, curandeiro da aldeia quéchua de San Carlos, na província de Orellana, Equador
Indígenas da Amazônia lutam contra petróleo em referendo no Equador

Fotógrafa: Flor Ruiz

Óscar Machoa, curandeiro da aldeia quéchua de San Carlos, na província de Orellana, Equador. A comunidade vive perto de uma das entradas do Parque Nacional Yasuní, objeto de um referendo nacional que, em agosto, decidiu pelo fim da exploração de petróleo no interior da reserva. Dias antes da votação, conversamos com diferentes povos indígenas que habitam a área a respeito das operações petrolíferas: alguns foram atraídos pelas receitas geradas com a exploração; já outros, como Machoa, foram contrários ao projeto (Imagem: Flor Ruiz / Diálogo Chino)

Sacos de ureia na fazenda de Antônio Sebastiani, em Cerquilho, interior de São Paulo
Fertilizantes de nitrogênio são faca de dois gumes para o Brasil

Fotógrafe: Dan Agostini

Sacos de ureia na fazenda de Antônio Sebastiani, em Cerquilho, interior de São Paulo. O uso de fertilizantes à base de nitrogênio foi central para a expansão agrícola do Brasil nos últimos 40 anos. Porém, há preocupações crescentes com as emissões geradas pelo seu uso e com as mudanças nas dinâmicas dos mercados de Rússia e China, principais fornecedores de fertilizantes para o Brasil (Imagem: Dan Agostini / Diálogo Chino)

Motociclista passa ao lado do Parque Solar Girasol, em Yaguate, República Dominicana
República Dominicana impulsiona energia limpa, mas ignora impactos locais

Fotógrafa: Erika Santelices

Motociclista passa ao lado do Parque Solar Girasol, em Yaguate, República Dominicana. Moradores dizem que a construção impediu o acesso a uma área agrícola usada pela população e associam as obras ao aumento do calor na área. Em nossa reportagem, também escutamos relatos sobre as falhas nos processos de avaliação de impacto e licenciamento ambiental (Imagem: Erika Santelices / Diálogo Chino)

Eduardo Sánchez, pescador da cidade de Arazatí, no Uruguai, segura garrafa d’água repleta de algas
Uruguai adentra águas turvas enquanto tenta evitar outra crise hídrica

Fotógrafo: Eitan Abramovich

Eduardo Sánchez, pescador da cidade de Arazatí, no Uruguai, segura garrafa d’água repleta de algas. Lá, o governo uruguaio planeja construir uma estação de tratamento de água, bem como uma tubulação de 80 quilômetros para chegar a Montevidéu. Este ano, o governo recorreu às águas salobras do Rio da Prata diante da crise hídrica histórica enfrentada pela capital uruguaia — a escassez das reservas afetou a qualidade e a disponibilidade de água potável, trazendo riscos à população. O projeto proposto para sanar o problema, no entanto, é bastante controverso (Imagem: Eitan Abramovich / Diálogo Chino)