As principais reportagens do Diálogo Chino em 2021

De soja a cavalos marinhos, de transição energética a extremófilos, a equipe do Diálogo Chino compartilha suas principais histórias de um ano agitado

Compartilhar

China Diálogo Chino reportagens 2021 ano soja Chile Brasil Bolsonaro transição energética

Moradores das "zonas de sacrifício" do Chile tiveram sua saúde prejudicada pela poluição proveniente da energia a carvão. Agora, essas cidades iniciaram uma transição energética para fontes limpas (Imagem: Saul Mansilla)

Acometido pelas variantes Delta e Omicron da Covid-19, 2021 viveu um contínuo “para e volta” dos calendários do clima e da política.

A COP26, a cúpula climática da ONU postergada em razão da pandemia, resultou no Pacto de Glasgow, mantendo viva a “esperança cautelosa” de frear o aquecimento global. Equador, Peru, Honduras e Chile escolheram novos presidentes, com consequências para as indústrias mais expostas a questões ambientais e para as relações com a China. Beijing, por sua vez, prometeu cortar o financiamento de projetos movidos a carvão no exterior e expandir os investimentos internos em energias renováveis, como parte do 14º Plano Quinquenal, um programa de desenvolvimento lançado em março deste ano e que tem implicações no mundo todo.

Além de eventos de destaque, o Diálogo Chino contou uma série de histórias pouco exploradas sobre a China, a América Latina e o meio ambiente. Compartilhamos com nossos leitores perspectivas e insights exclusivos ao longo do ano e destacamos alguns desses trabalhos selecionados pela nossa equipe de editores.

Alejandra Cuéllar, editora de México e América Central: Comércio ilegal de cavalos-marinhos entre México e China

Diálogo Chino cavalos marinhos soja Brasil Chile China
Imagem: Helmut Corneli / Alamy

O comércio de cavalos-marinhos entre o México e a China raramente é analisado a partir dos dois países. Em colaboração com jornalistas da agência HK01 de Hong Kong, mergulhamos profundamente no comércio ilícito dessa criatura marinha à beira da extinção. Filmamos secretamente lojas e vendedores de Hong Kong que comercializam cavalos-marinhos, além de averiguarmos em que condições eles são pescados no México. E também conversamos com especialistas em medicina tradicional chinesa para entender o uso dos cavalos-marinhos, valorizados por suas supostas propriedades afrodisíacas.

Fermín Koop, editor para o Cone Sul: A complexa transição energética das "zonas de sacrifício" do Chile

Imagem: Saul Mansilla

Atingir as metas para combater as mudanças climáticas significa realizar uma transição energética de combustíveis fósseis poluentes para fontes limpas e renováveis. Para o Chile, esta tem sido uma tarefa complexa. Há muitos anos, o país tem confiado no carvão para grande parte de sua geração de eletricidade. Nesta reportagem, fomos até as cidades de Quintero e Puchuncaví, no Chile central, então descritas como "zonas de sacrifício" — áreas onde a poluição proveniente da energia a carvão era tão forte que afetou a saúde humana, mas que agora iniciaram uma transição energética para fontes limpas.

Lívia Machado Costa, assistente editorial: Recorde do agronegócio brasileiro apazigua atritos do governo Bolsonaro

Agronegócio brasileiro está em um verdadeiro boom no governo Bolsonaro
Imagem: Hugh Williamson / Alamy

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro fez vários comentários não diplomáticos em relação à China em 2021, apesar de o país asiático ser o principal parceiro comercial do Brasil e um importante produtor e fornecedor de vacinas. O agronegócio, entretanto, sentiu poucos efeitos adversos: 2020 foi seu segundo melhor ano em exportações em uma década, e o setor continua altamente dependente da China. Mergulhamos nos esforços entre os governos para proteger das tensões diplomáticas o agronegócio — maior contribuinte para o PIB do Brasil —, explicando o papel-chave da ministra da Agricultura Tereza Cristina.

Marina Bello, assistente editorial: O boom da soja na Argentina está chegando ao fim?

soja Argentina Chile 2021 Diálogo Chino Brasil Bolsonaro
Imagem: Nick Albi / Alamy

2021 foi o ano em que a Argentina, país quintessencial da soja, plantou a menor quantidade de grãos de soja em uma década. Seguimos de perto o movimento em direção ao plantio de culturas mais variadas, pois muitos produtores perceberam que a monocultura — e a erosão do solo que ela causa — funciona contra seus interesses econômicos. Eles vêm optando por integrar mais culturas como o trigo e milho. "O país da soja acabou, só resta o mito", disse um agrônomo. O tempo dirá se o mito será reavivado ou se a sustentabilidade vencerá a luta.

Robert Soutar, chefe de redação: Cristina Dorador, a bióloga que quer uma constituição verde para o Chile

Cristina Dorador Chile Constitution
Imagem: Cristina Dorador

O Chile é uma terra de extremos: seus desertos secos do norte e as cordilheiras geladas da Antártida abrigam micro-organismos conhecidos como extremófilos, os quais, de alguma forma, prosperam. É também uma terra de extremos políticos, onde um cético do clima da extrema-direita enfrenta um ex-líder estudantil da esquerda em uma corrida presidencial. Em maio, Cristina Dorador, bióloga que estuda extremófilos no deserto de Atacama, rico em lítio, foi eleita para ajudar a redigir a nova Constituição do Chile. As opiniões esclarecidas de Dorador sobre os recursos naturais do Chile, seu papel na transição energética global e a simbiose da ciência e da política são refrescantemente pragmáticas.

Patrick Moore, editor assistente: Como foi a experiência de usar o bitcoin por um dia em El Salvador 

2021 reportagens Diálogo Chino
Imagem: Víctor Peña / dpa / Alamy

O mundo frequentemente desconcertante das criptomoedas teve destaque em 2021, vendo preços recordes, choques, a repressão chinesa e até mesmo a tokenização de bois. Para a maioria de nós, a confusão continua a encobrir o fenômeno, mas isto provavelmente foi sentido com mais intensidade este ano pelos residentes de El Salvador, pois o país tornou-se o primeiro do mundo a reconhecer a bitcoin como moeda oficial. Houve afirmações atraentes sobre a alimentação de processos "mineradores" famintos de energia utilizando os vulcões do país. Porém, para os cidadãos lançados nesta experiência, reinou a confusão, com incertezas sobre como utilizá-la e em torno da volatilidade da moeda. Nossa história captou o agora familiar cabo de guerra entre o ceticismo que muitos sentem em relação à criptomoeda e o entusiasmo selvagem de seus defensores.

Li Yedan, pesquisadora: O hidrogênio pode se tornar o combustível do futuro?

Imagem: Kim Kyung-Hoon / Alamy

Com a urgência da transição energética, todos estamos preocupados com as novas tecnologias de combustível ou outros recursos que substituirão os combustíveis fósseis e oferecerão a esperança de um futuro de energia limpa. Esta matéria apresenta uma breve história do desenvolvimento do hidrogênio como fonte de energia e explica seus diferentes tipos, como o hidrogênio cinza, azul e verde. Além disso, discute diferentes perspectivas de apoiadores e duvidosos sobre o potencial de mercado do combustível. É uma ótima matéria para quem deseja entender o potencial a longo prazo de combustíveis alternativos, assim como os desafios que eles enfrentam em um mundo viciado no uso de petróleo.